Mortes de macacos são investigadas em Lavras e Três Pontas, MG

10.02.2017

Informação foi divulgada em relatório da Secretaria Estadual de Saúde. Prefeitura também confirma que macaco foi para análise em Varginha.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais confirmou na tarde desta quinta-feira (9) que as mortes de mais dois macacos estão sendo investigadas no Sul de Minas por conta da febre amarela. Conforme a informação divulgada no boletim diário sobre a doença, estão sendo investigadas mortes em Lavras (MG) e Três Pontas (MG).


O relatório também confirmou que o macaco encontrado morto em Poços de Caldas (MG) realmente morreu por conta da doença. A informação já havia sido divulgada pela Prefeitura Municipal de Poços de Caldas (MG) nesta quarta-feira. Por conta disso, a prefeitura da cidade ampliou o horário de vacinação.

 

Além desses casos, o relatório confirma que há rumores de primatas mortos em mais nove cidades do Sul de Minas, no entanto, os casos não evoluíram para investigação. Há rumores nos municípios de Campestre, Claraval, Andradas, Caldas, Ibitiúra de Minas, Ouro Fino e Campanha.
Por enquanto, foram confirmados quatro casos de febre amarela no Sul de Minas, todos em Delfinópolis (MG). Também foram confirmadas pela secretaria três mortes no município por conta da doença. Uma outra morte foi confirmada pela Secretaria de Estado de São Paulo.


Macaco achado morto em Varginha
Um outro macaco foi encontrado morto no início da semana no bairro Parque Rinaldi, em Varginha. No entanto, conforme a prefeitura, ainda não se sabe as causas da morte e nem se  há relação com a febre amarela. O animal foi recolhido e levado para o Instituto Evandro Chagas, onde vai passar por exames. A informação ainda não consta no relatório oficial da Secretaria de Estado de Saúde. Conforme a secretaria informou ao G1, o caso deverá aparecer como "em investigação" assim que ele for notificado e a Regional de Saúde informar o Estado.


Por conta da suspeita, a prefeitura informou que haverá um bloqueio vacinal na região para garantir que toda a comunidade fique imunizada.

 

Poços de Caldas
A confirmação da morte de um macaco por febre amarela em Poços de Caldas (MG) movimentou os postos de saúde da cidade nesta quinta-feira (9). Devido ao aumento na procura algumas pessoas precisaram esperar até três horas na fila para tomar a vacina contra a doença. Vacinação foi estendida para o próximo sábado (11) e domingo (12).

 

A correria pela vacina aumentou depois que a Superintendência Regional de Saúde de Pouso Alegre (MG) confirmou que a causa da morte o animal encontrado no último dia 25 de janeiro, em uma área central, era a febre amarela. Com medo, muitas pessoas enfrentaram filas em várias unidades de saúde em busca da imunização.

 

Vacinação estendida
A Secretaria de Saúde ampliou a vacinação em Poços de Caldas. Neste sábado (11) e domingo (12), dezessete unidades de saúde devem trabalham em regime de plantão como forma de intensificação da vacinação contra febre amarela. As unidades funcionarão de 8h às 17h.


As salas de vacinação em regime de plantão são as seguintes: PSF São José, UBS Regional Sul, PSF Esperança II ,PSF Santa Rosália, UBS Regional Leste, PSF Vila Nova, PSF Dom Bosco I, PSF Nova Aurora, PSF Cascatinha, PSF Ponto da Cascata, UBS Centro (Samu), PSF Parque Pinheiros, PSF Santa Augusta, PSF Kennedy I, PSF Jardim São Paulo, UBS Country Club e UBS São Jorge.


Na zona rural, também haverá vacinação neste sábado. O serviço será em domicílio nas regiões dos bairros Córrego D'Antas, nas fazendas Lambari e Aparecida. Já neste domingo, a vacinação acontece nas regiões das fazendas Souza Lima, Aleixo e Boa Vista.

 

Orientações
A vacina é contra indicada para crianças menores de seis meses; gestantes; nutrizes e lactantes até seis meses após o parto; pacientes em uso de drogas imunossupressoras; pacientes com neoplasia, transplantados; indivíduos com histórico de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina e outras); imunodeprimidos e com imunossupressão; doença autoimune.


O esquema de vacinação atual, prevê que crianças devem ser imunizadas com uma dose aos seis meses de idade; outra dose aos 9 meses de idade e um reforço aos 4 anos de idade. Para pessoas a partir dos 5 anos até 59 anos de idade, é necessária uma dose e um reforço após 10 anos. Pessoas com 60 anos ou mais, que nunca foram vacinadas, ou sem comprovante de vacinação, devem passar por avaliação médica criteriosa, antes de tomar a vacina.

 

Foto: Reprodução EPTV/Marcelo Rodrigues

Compartilhar

Fonte - G1 Sul de Minas

Solicitar Musica

UF

MG

  • AC

  • AL

  • AP

  • AM

  • BA

  • CE

  • DF

  • ES

  • GO

  • MA

  • MT

  • MS

  • MG

  • PA

  • PB

  • PR

  • PE

  • PI

  • RJ

  • RN

  • RS

  • RO

  • RR

  • SC

  • SP

  • SE

  • TO